" Se a esperança se apaga e a Babel começa, que tocha iluminará os caminhos na Terra?" (Garcia Lorca)

21
Set 05

Eu não quero o amor comezinho,

frugal.

Mas isso é confuso,

pois quero o amor que seja tão comum,

que será quase vulgar,

no sentido contrário do amor fugaz.

Eu quero um colo pra deitar,

uma mão pra me acarinhar,

uma boca pra sorrir pra mim,

olhos pra me espiar,

ouvidos pra me ouvir,

tal e qual fazia o lobo mau,

travestido de vovozinha.

publicado por Adelina Braglia às 19:44

Setembro 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

12
14
15
16
17

18
20
22
23
24

25
26
28


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO