" Se a esperança se apaga e a Babel começa, que tocha iluminará os caminhos na Terra?" (Garcia Lorca)

29
Nov 10

 

Quando você crescer e a vó talvez não esteja junto pra explicar, perdoe-nos por acreditar durante muito tempo que Pedro Álvares Cabral havia descoberto o Brasil por acaso. E por termos desfrutado durante alguns anos a ilusão de um país que despertava,  e assim podíamos sonhar com “... o barquinho a navegar no macio azul do mar...” e amar os Beatles e os Rolling Stones.

 

 Depois, nada era paz e o amor se fazia no escuro, encostados nos muros, temendo a prisão. Mas aí, tanta coisa havia acontecido enquanto o barquinho navegava que foram muitos, muitos anos de escuridão. E hoje ainda temos dificuldades na claridade, pois sombras turvam a visão.

 

Mas não nos culpe por Wlado Herzog nem pelo exílio que feriu de morte a sanidade de Geraldo Vandré.  Isso é culpa dos generais, estes que hoje querem a impunidade e que a vó quer que sejam punidos,  um a um. Que os que já morreram sejam desonrados publicamente e que os que vivem sejam presos e exemplarmente punidos pela prisão ilegal, pela tortura e pelo assassinato de jovens como a vó também já foi.

 

E que na sua juventude, a fraternidade tenha se sobreposto à barbárie. É o que a vó lhe deseja, do mais fundo do coração e com o mais profundo amor.

 

E como o Vitor Martins e o Ivan Lins já tinham antecipado estas desculpas, deixo a canção pra você:

 

 

 

 

publicado por Adelina Braglia às 07:22

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Novembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
12
13

14
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO