Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Abril 2009

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930


Pesquisar

 


Saúde, Ministra.

Segunda-feira, 27.04.09

 

A ministra Dilma Rousseff, cercada pela equipe  de especialistas do Hospital Sírio Libanês, sem disfarçar sua peculiar impaciência, anunciou que fez uma cirurgia para retirar um tumor linfático, etc. e tal. Os médicos garantiram o êxito da cirurgia e a excelente possibilidade de cura de 90%.
 
Correto o que a ministra fez, ao não deixar que se criasse expectativas errôneas ou se disseminasse mentiras sobre o seu estado de saúde. Porém, uma recomendação feita por ela – que era importante pelo seu exemplo, que todos fizessem exames de rotina ou coisa assim – que cabe bem e é simpática em atrizes que não tem compromisso direto com a estrutura de saúde pública no país, eu não consegui deglutir.
 
A “recomendação” da ministra, para um marciano que caiu ontem cá neste planeta, dará a impressão que o problema do nosso povo, no que se refere à própria saúde, é o ralaxamento, o descaso, ou algo semelhante. Não saberá, o nosso marciano que a moça que tentava ser afável entre seu autoritarismo e rasgos de  presunção de dona do caminho da verdade e da luz,  é diretamente responsável por apoiar a melhoria dos indicadores de saúde deste país. Nosso marciano não saberá que o Brasil é o campeão mundial de incidência de câncer de colo de útero, que vitima milhões de mulheres ano a ano.
 
Esta doença tem probabilidades ainda mais otimistas de cura do que a da ministra: a doença tem 94% de chances de cura quando diagnosticada cedo. E para disgnosticá-la cedo, basta um rotineiro exame anual: a colpocitologia.
 
Assim, cara ministra Dilma, desejando-lhe franca e rápida recuperação, confiando, eu também, na competência da  equipe  do Hospital Sírio Libanês que a assiste, solicito-lhe que na longa sobrevida que terá, que apóie, estimule e financie com recursos ordinários e extraordinários do seu Governo o combate ao câncer de colo uterino que vitima especialmente mulheres pobres deste Brasil. Após o aparelhamento dos postos de saúde, dos hospitais públicos e prontos socorros, aí sim, ministra, caberá seu tom aborrecido de recomendação.
 
Saúde, Ministra.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Adelina Braglia às 09:14

3 comentários

De ana diniz a 27.04.2009 às 20:07

Que light, Bia!
A ministra não tem tempo para saber de epidemias, pandemias, incidência de câncer e coisa e tal! Ela só faz política; seu caso é poder. ou melhor "o" poder. Pra que, ainda não descobri. Jamais se ouviu da ministra uma palavra que fosse políticas sociais ou públicas. Gente, para ela, é número estatístico (ela é maoísta, lembras?).
Uma vez Napoleão levou Tayllerand para um campo de batalha. O chique chanceler cobriu o nariz com o lenço, e ouviu de Napoleão algo assim: Ah, não gostou? Sabe porque trouxe você aqui? Porque você vai negociar a paz, e precisa saber o quanto ela custa!
Acho que a ministra precisaria saber o quanto custa escalar o pináculo do poder, onde ela chegou de elevador. Aí pararia de dar conselhos para quem não pode cumpri-los.
Que bom que você voltou!

Comentar post



Comentários recentes

  • Anónimo

    Que bacana , cá estou pronto pra te perguntar : co...

  • River

    Saúde! Segurança! Educação!A cultura e a Educação ...

  • Anónimo

    Meu pai foi um desses homens procuro por uma foto...

  • Adelina Braglia

    Salve, Cris.Mudamos todos, nós, os blogs, o Juca q...

  • cris moreno

    saudades. estava me lendo no travessia e vi como b...