" Se a esperança se apaga e a Babel começa, que tocha iluminará os caminhos na Terra?" (Garcia Lorca)

15
Set 08

 

A SPM (Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres), o Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) e o Unifem (Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher) e apresentaram hoje, em Brasília, os primeiros resultados da pesquisa "Retrato das desigualdades de gênero e raça", que compara microdados Pnads 1996 e 2006.
 
Além de preparar um detalhado e inédito perfil da população brasileira a partir de recortes de gênero e raça/cor, este trabalho já organiza os dados mais recentes para compará-los com a Pnad 2007 que está será lançada nesta semana.
 
Veja alguns destaques do estudo.
 
Chefia de família
 
- aumento na proporção de famílias chefiadas por mulheres
- crescimento do número de famílias monoparentais masculinas
- crescimento das famílias formadas por casais com filhos chefiadas por mulheres
 
Educação
 
- os negros e negras estão menos presentes nas escolas, apresentam médias de anos de estudo inferiores e taxas de analfabetismo bastante superiores.
 
Previdência e assistência social
 
- A cobertura é maior para homens idosos brancos e menor para mulheres negras ;
a grande maioria dos domicílios que recebem benefícios assistenciais é chefiada por negros.
 
Mercado de trabalho
 
- Mulheres ocupadas são mais escolarizadas que os homens ocupados;
- Negros trabalham mais e nas piores ocupações. Entram mais cedo no mercado e saem mais tarde.
- Meninos negros são as maiores vítimas do trabalho infantil
- Trabalho doméstico remunerado é, ainda, persistente e majoritariamente feminino, negro e informal (sem carteira assinada)
 
Habitação e saneamento
 
- Domicílios chefiados por negros aqueles que se encontram sempre em piores condições, têm menos água encanada, esgoto e coleta de lixo;
 
- Pobreza, distribuição e desigualdade de renda 
 
Nos últimos 12 anos, homens brancos perderam renda, enquanto mulheres e negros ganharam. Ainda assim, o rendimento dos homens brancos supera o de mulheres e negros.
 
A pobreza e a indigência negras são três vezes maiores que a pobreza e a indigência brancas (Pobre = quem sobrevive com até ½ do SM per capita por dia; Indigente = quem sobrevive com até ¼ do SM per capita por dia)


Fonte: Ipea/ Assessoria de Comunicação (13/09/2008)
Link relacionado
: http://www.ipea.gov.br
 
publicado por Adelina Braglia às 20:22

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Setembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11

14
17
18
20

21
22
23
24
25
26

29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO