" Se a esperança se apaga e a Babel começa, que tocha iluminará os caminhos na Terra?" (Garcia Lorca)

10
Abr 08

 

 

Recebi o desafio da Pilantra 
 Já respondi e repasso para vocês.
 1 – A crônica do valente Parintis, de Ewelson Soares Pinto. Devorei o romance. Quando o comprei, na livraria do aeroporto, mergulhei nele e consegui perder o vôo na sala de embarque.
 2 – A consciência de Zeno – Ítalo Svevo. Adoro especialmente o esforço do personagem em parar de fumar....
 3 – Rumo ao farol – Virgínia Woolf. Seus pais lembram os meus. Ao contrário.
 4 – Cem anos de solidão – Gabriel Garcia Marques. Conheci tantos José Arcádio e tantas Macondo que jamais vou me separar deste guia da humanidade latino-americana!
 5 – Quase memória – Carlos Heitor Cony. Gosto tanto que tenho dois...
 Que ninguém me atire pedras, mas não consegui terminar Ulysses e não o tenho na estante. Não pretendo ter nunca.
 
O desafio é apontar cinco autores ou obras literárias preferidas e indicar um livro ou autor que merece apodrecer na estante. Ou ficar fora dela.
 Divirtam-se.
  
Ana Diniz  
Ademir Braz 
Blog do Alencar 
Cris Moreno    
Flanar
publicado por Adelina Braglia às 09:21

Pura diversão mesmo!
Vou pensar e postar aqui minhas opções.
Posso adiantar que tenho um monte que merecem apodrecer nas prateleiras.
Aliás, ESTÃO apodrecendo.

Rsss...
Flanar a 10 de Abril de 2008 às 16:13

Dia destes pensei no que gostaria de ter para ler, se isolada do mundo estivesse por longo tempo e não pudesse ter acesso a livros novos. E seriam esses os cinco títulos:
A Bíblia, e as Mil e Uma Noites: são enormes, e como sou viciada em leitura, permitiriam anos e anos de leituras e releituras.
Obras completas de Conan Doyle: sempre volto ao Sherlock, sua magia ambivalente e a extraordinária técnica narrativa.
Sonetos de Camões. "Alma minha gentil, que te partiste tão cedo desta vida..."
Obras completas de Graciliano Ramos. Para mim, o maior escritor em língua portuguesa - ele usa a palavra como um instrumento, ressoando asperezas, doçuras, amargores e até o tédio.

Não tenho e não pretendo ter: qualquer livro das séries Poliana, Juliana e outras que tais. Li um, uma vez, para nunca mais.

Recomendo: A vigorosa literatura em língua portuguesa com cenários de Angola e Moçambique. Li há pouco "Terra Sonâmbula", de Mia Couto - é lindo;
"Os cus de Judas", de António Lobo Antunes - é terrível. E, porque não? literatura policial brasileira, ainda engatinhando (quando se compara com Simenon e Christie) mas promissora.

Espero, Bia, que a resposta satisfaça.
Abraço, Ana

ana diniz a 18 de Abril de 2008 às 12:04

Satisfeitíssima. Especialmente pela sua vinda até aqui.

Abraço grande.

Abril 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

15
16
17
19

20
21
22
23
24
26

28
29


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO