" Se a esperança se apaga e a Babel começa, que tocha iluminará os caminhos na Terra?" (Garcia Lorca)

12
Mai 07

 

 

Ando sentindo saudades de mim,
daquela que eu teimo que era,
mas que não tenho mais certeza se existiu.

E quando sinto esta saudade de mim,
- o que tem acontecido com uma indesejável freqüência –
sinto, na verdade, falta das risadas frouxas e dos ataques de fúria
que só aconteciam, os ataques,
porque havia uma inabalável certeza de que tudo mudava,
mas muito devagar.

Quando sinto esta saudade de mim, quase não me reconheço no espelho:
olhos baços, na boca um traço entre o cansaço e o susto.

Se eu tivesse sido o que imagino ter sido,
seria eu hoje esta somatória de desejos não realizados
e feroz auto-controle sobre a minha intolerância?

Quem sabe apenas não gosto do que sou agora
e tenha inventado uma mulher no passado para ter o consolo de ter mudado?

Mas esta saudade de mim é tão forte
que prefiro continuar a crer que existi.


publicado por Adelina Braglia às 09:48

Maio 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9

13
14
16

20
21
22
23
25
26

28
29
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO