" Se a esperança se apaga e a Babel começa, que tocha iluminará os caminhos na Terra?" (Garcia Lorca)

10
Mai 07

 

Os brasileiros recebem o Papa como recebem uma banda de rock. Delírio na galera à frente do Mosteiro de São Bento, onde Sua (deles) Santidade acena através do vidro blindado.

O circo, alimentado pela mídia e pelas autoridades, oculta o objetivo real da visita, que não é a canonização de Frei Galvão.

O Papa declara o aborto crime, o homossexualismo doença e desvio de comportamento e seu maior representante “político” aqui, Dom Magella, afirma que educação sexual nas escolas é promiscuidade. Mas, os brasileiros recebem o Bono Vox de batina, alheios à promíscua  - esta sim - interferência que a Igreja mantém entre a religiosidade e seus interesses patrimoniais como estado soberano, malandragem que só o Vaticano tem entre as religiões. Por isto a proposta de um Acordo Bilateral, ou seja lá o nome que tenha, aquilo que o Papa vem pressionar para ser assinado.

Entre outras coisas, o “acordo diplomático” propõe o ensino religioso nas escolas - arranhando o laicismo da nossa Constituição – a transformação do casamento religioso em ato de reconhecimento civil e, evidentemente porque o Santo Papa é também o gestor dos bens da fé, isenções tributárias para a Igreja e seu patrimônio.


Vamos lá, Mr. Bono:



I gotta go!
I believe in a celebration
I believe we can be free.
I believe you can loose these chains
I believe you can dance with me, dance with me.
Shake! Shake!
Shake! Shake!

I believe in the Third World War
I believe in the atomic bomb.
I believe in the powers-that-be
But they won't overpower me.

And you can go there too,
And you can go, go, go, go!
Shake! Shake!

And we don't have the time
And everything goes round and round
And we don't have the time
To watch the world go tumbling down.
I believe in the bells of Christchurch
Ringing for this land.
I believe in the cells of Mountjoy
There's an honest man.

And you can go there too,
(...)


I believe in the walls of Jericho
I believe they're coming down.
I believe in this city's children
I believe the trumpet's sound.

(A celebration – U2)





publicado por Adelina Braglia às 08:23

 

"Eu, há dezessete anos, sou um dramaturgo. Há dezessete anos pago o preço de nunca escrever para agradar os poderosos. Há dezessete anos tenho minha peça de estréia [Barrela] proibida. A solidão, a miséria, nada me abateu, nem me desviou do meu caminho de crítico da sociedade, de repórter incômodo e até provocador. Eu estou no campo. Não corro. Não saio. E pago qualquer preço pela pátria do meu povo."
(Plínio Marcos)




Do mesmo modo


que da alegria foste


ao fundo


e te perdeste nela


e te achaste


nessa perda


deixa que a dor se exerça agora


sem mentiras

 
nem desculpas

 
e em tua carne vaporize


toda ilusão

 
que a vida só consome


o que a alimenta.


(Ferreira Gullar)

 

 

 


Você me chama

eu quero ir pro cinema

você reclama

meu coração não contenta

você me ama

mas de repente a madrugada mudou

e certamente

aquele trem já passou

e se passou

passou daqui pra melhor

foi

só quero saber

do que pode dar certo

não tenho tempo a perder.

(Torquato Neto)

 

 

 

publicado por Adelina Braglia às 06:19

Maio 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9

13
14
16

20
21
22
23
25
26

28
29
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO