" Se a esperança se apaga e a Babel começa, que tocha iluminará os caminhos na Terra?" (Garcia Lorca)

07
Mar 07

 

 

Um terço das mulheres brasileiras vive sozinha. Essa foi a matéria principal de hoje na Rede Globo, antecipando o Dia Internacional da Mulher, comemorado amanhã.
 
É importante esse dado, principalmente como mudança de padrão de comportamento, se relembrarmos que há pouco tempo as mulheres só saiam de casa quando mudavam de dono: eram “dadas” do pai para o marido.
 
Há outras informações circulando hoje. Segundo a Fundação SEADE, na Região Metropolitana de São Paulo:
 
·         As mulheres são maioria entre os desempregados
·         O segmento de mulheres que ampliou sua participação no mercado de trabalho é o que tem menos de 11 anos de estudo, o que valida a participação maior no mercado das mulheres com idade entre 18 e 39 e as de mais de 50 anos
·         As mulheres ainda ganham 70% do rendimento médio dos homens
·         69.2% das mulheres que trabalham estão ocupadas no setor Serviços, onde se inclui o serviço doméstico (17,3%) e o setor público, os maiores empregadores da mão-de-obra feminina.
 
 
Alcalentamos os filhos, consolamos a mãe e o pai, abraçamos nossos amores, perdoamos com alguma dificuldade, porque é assim que somos, os humanos. Os homens, no geral,  disfarçam. Choramos como quem aprendeu que não é vergonhoso chorar, abrimos os sentimentos – a raiva, o ciúme, a dor, a alegria – como janelas para fora do corpo e da alma.
 
Eu nos considero perfeitas na nossa incompletude. E nos acarinho, recorrendo a Adélia Prado:

 

Adélia Prado - foto http://virtualbooks.terra.com.br

 

Quando nasci um anjo esbelto,
desses que tocam trombeta, anunciou:
vai carregar bandeira.
Cargo muito pesado pra mulher,
esta espécie ainda envergonhada.
Aceito os subterfúgios que me cabem,
sem precisar mentir.
Não sou tão feia que não possa casar,
acho o Rio de Janeiro uma beleza e
ora sim, ora não, creio em parto sem dor.
Mas o que sinto escrevo. Cumpro a sina.
Inauguro linhagens, fundo reinos
-- dor não é amargura.
Minha tristeza não tem pedigree,
já a minha vontade de alegria,
sua raiz vai ao meu mil avô.
Vai ser coxo na vida é maldição pra homem.
Mulher é desdobrável. Eu sou.


(Com licença poética)

 

 

publicado por Adelina Braglia às 11:59

 

 

 

“ (...) Eu acredito firmemente que empresas estatais são ineficientes e vão levar a mais pobreza. Eu acredito que, se o Estado tenta conduzir a economia, ele acaba trazendo mais miséria e reduzindo as oportunidades. Portanto, os Estados Unidos levam à região uma mensagem de livre mercado e governo aberto.
O objetivo da minha viagem é relembrar ao povo da América Central e da América do Sul que os EUA estão comprometidos com o fortalecimento dos indivíduos, para que eles possam desenvolver o potencial que lhes é dado por Deus. Gostaria de citar algumas estatísticas. Desde que assumi a Presidência, a assistência bilateral para a região dobrou, de US$ 800 milhões para US$ 1,6 bilhão. Eu digo isso porque é muito importante relembrar à minha população sobre a importância de continuar a ser generoso em nossa vizinhança.
(...)
Se a demanda da China continuar crescendo e não houver elevação correspondente na oferta mundial, isso afetará a habilidade das pessoas da América Latina de guardarem dinheiro, porque o preço da gasolina subirá. Portanto, reduzir a dependência do petróleo vai aumentar a segurança econômica da região. E a prosperidade da região é importante para os EUA: queremos que nossos amigos e vizinhos sejam prósperos (...)”
 
 
(trecho da entrevista de Bush publicada hoje no jornal O Estado de São Paulo)
 
Grifo 1 - O xerife já ouviu falar em Petrobrás?
 
Grifo 2 – Essa lição eles já nos ensinaram há 25 anos atrás. E o pior é que nós aprendemos: a culpa é dos “indivíduos”.
 
Grifo 3 – A população "dele" não distingue “generosidades”: mísseis, bombas, protecionismo tarifário ou leite em pó, são a mesma coisa.
 
Resumindo: boçal e arrogante. Que a visita lhe seja péssima. É o meu desejo.
 
publicado por Adelina Braglia às 11:08

06
Mar 07

 

Rachel Beauvoir Dominique, antropóloga, pesquisadora e professora da Universidade do Haiti e Didier Dominique, arquiteto, professor da Universidade do Haiti fazem um giro por 11 cidades brasileiras para expor a real situação das “tropas de paz” em seu país. Pretendem com isto garantir a retirada das tropas estrangeiras do país e por um fim ao saque do qual o Haiti é vítima. Os dois são militantes do movimento Batay Ouvriye - do krioulo, "Luta Operária".



(...) “Rachel Beauvoir Dominique começou seu giro em Fortaleza onde deu esta entrevista a ADITAL.

ADITAL: Qual o motivo desse giro pelas cidades brasileiras e qual sua expectativa?

Rachel Beauvoir Dominique: Agradeço por esta oportunidade de falar com os leitores da Adital e com os companheiros e companheiras da América Latina em geral. Nesta viagem estou com outro companheiro, Didiér Dominique, do movimento Batay Ouvriye - em crioulo, "Lucha Obrera", que é um movimento no Haití que tem muitas classes em seu seio: trabalhadores, jovens, mulheres, etc. Ele começa suas atividades pelas cidades do sul, Porto Alegre, Florianópolis, Curitiba, São Paulo, etc.
Falando sobre o Haití posso dizer que faz 10, 20 anos que, de forma diferente, estamos buscando alternativas para por um fim aos séculos de exploração nos campos e cidades do Haiti. Neste país vivem os mais pobres do mundo inteiro, os mais pobres em um país dos mais ricos, anteriormente, com a produção de açúcar, de arroz e outros produtos, tudo isso por causa de uma dominação secular.
O objetivo desta viagem é informar e também denunciar uma situação terrivel para nós, que é esta ocupação militar do Haití. Os governos dos países dominantes dizem que não é uma ocupação, e sim uma missão, uma ajuda da ONU, de estabilização. No Haití, por causa das dificuldades dos anos passados, pudemos ver muito claramente, há muitos anos, que as iniciativas dos países dominantes da ONU e dos governos, não têm realmente o objetivo de ajudar e cada vez que o fazem é para defender os interesses das classes dominantes do Haití e do imperialismo em geral.
Para nós, hoje, a situação é muito particular por causa do fato que a MINUSTAH (missão da ONU), tem, em seu comando, tropas e generais brasileiros. Não são diretamente os canadenses, os norte-americanos, ou os ranceses, os europeus, e sim a gente da América Latina: Argentina, Equador, El Salvador e Brasil.
Brasil com um governo eleito com muitos votos populares, é para nós um paradoxo. E essa missão não é para a ajuda tão necessária ao Haiti, como na saúde, na educação e nos elementos de desenvolvimento de um povo. É uma missão de dominação porque a população dos bairros populares são atacadas, mortos. Há uma situação muito, muito grave no Haiti hoje (...)”

http://www.adital.com.br/site/noticia.asp?lang=PT&cod=26574



publicado por Adelina Braglia às 10:37

05
Mar 07

 

Não, eu não me iludo com pouca coisa. Fiz isso na juventude e até hoje amargo a frustração dos que se acreditaram donos da esperança e da verdade.
Porém, com a visita de Bush, é importante deixar a frustração de lado e olhar o que ele vem fazer por aqui.

Alerta 1

Lula, presidente do Brasil
Chavez, na Venezuela,
Rafael Correa, no Equador,
Evo Morales, na Bolívi,
Michelle Bachelet, no Chile,
Kirchner, na Argentina,
Tabare Vásquez, no Uruguai
Daniel Ortega na Nicarágua
René Preval, no Haiti
O eterno Comandante, em Cuba.


Assim, enquanto o Grande Irmão salvava o Oriente Médio, fizeram um enorme estrago no seu quintal.


Alerta 2

Metanol e biocombustível


Só uma palhinha:


“ (...) Já no que se refere ao comércio do metanol e biocombustíveis, a hipocrisia é maior ainda. Não há o que discutir sobre este assunto quando se sabe que, em decorrência das enormes barreiras protecionistas do imperialismo, o galão do metanol brasileiro é exportado para os EUA por apenas 54 centavos de dólar. E o governo Bush já enfatizou que não pretende alterar esta política, segundo reportagem do jornal Valor Econômico (05/02/07). O artigo informa que um dos mecanismos protecionistas, o da tarifa que encarece a importação, foi prorrogada até 2008. Além disso, o governo ianque já anunciou que pretende ampliar a produção de metanol a partir do milho - e não da cana produzida no Brasil (...)”

(Altamiro Borges, editor de Debate Sindical)



Alerta 3

“ (...) Os 14 centavos de dólar sobretaxados em cada litro de etanol brasileiro não impediram que 1,75 bilhão de litros fossem embarcados para os EUA em 2006. A sobretaxa representa, porém, uma óbvia medida protecionista, destinada a salvaguardar interesses da produção menos eficiente de álcool de milho dos Estados Unidos.

A lei correspondente, aprovada no Congresso americano, destoa do discurso sobre livre comércio. Se num país em desenvolvimento tais sobretaxas já seriam questionáveis, no país mais rico do mundo resultam inaceitáveis. Sua manutenção representa empecilho para perseguir o próprio objetivo de formatar um mercado mundial eficiente(...)”

(Agencia Carta Maior – 09/02/2002)
 
 
Que venha o "companheiro" Bush!
 
 


publicado por Adelina Braglia às 15:25

03
Mar 07

 

Flôres brancas.

Trazem paz.

Um sábado tranquilo.

É o que eu quero.

 

 

publicado por Adelina Braglia às 17:57

01
Mar 07

 

" Senado repete Câmara e aprova MP que facilita transgênicos



Medida Provisória que reduz quorum da CTNBio e libera comercialização de algodão transgênico plantado ilegalmente segue agora para sanção de Lula. Greenpeace tenta sensibilizar primeira-dama para o problema.


Maurício Thuswohl - Carta Maior



RIO DE JANEIRO – O Senado optou por seguir o caminho proposto pela Câmara e colaborar para a facilitação da introdução dos alimentos transgênicos no Brasil. Na noite de terça-feira (27), os senadores decidiram em plenário aprovar o projeto de conversão de lei previsto na Medida Provisória 327/06 que, de uma só tacada, libera a comercialização de uma variedade de algodão transgênico produzido pela empresa transnacional Monsanto e plantado ilegalmente no ano passado; reduz de dois terços para maioria simples o quorum da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) necessário para deliberar sobre a comercialização dos transgênicos; e diminui de cinco quilômetros para até 500 metros a distância mínima obrigatória que os cultivos de transgênicos devem respeitar em relação às unidades de conservação ambiental – a chamada zona de amortecimento.



A aprovação do projeto de conversão significou, na prática, que o Senado acatou a MP 327 com o mesmo texto que ela saiu da Câmara. A orientação nesse sentido partiu do relator-revisor, o senador Delcídio Amaral (PT-MS), e agora o projeto segue para sanção do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que tem 15 dias úteis para se manifestar. Quando enviada ao Congresso pelo governo, a MP 327 resumia-se à redução da zona de amortecimento, numa decisão que já era vista pelo movimento socioambientalista como uma capitulação do governo Lula às pressões de uma outra empresa transnacional, a Syngenta Seeds, que enfrenta problemas com o Ibama do Paraná desde que foi multada em março do ano passado por plantar transgênicos perto demais do Parque Nacional do Iguaçu. (...)"

os grifos são meus.

http://agenciacartamaior.uol.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=13609&boletim_id=238&componente_id=4538

 

publicado por Adelina Braglia às 07:32

Março 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

14
15

18
19
23
24

27
29
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO