" Se a esperança se apaga e a Babel começa, que tocha iluminará os caminhos na Terra?" (Garcia Lorca)

17
Ago 06

Uma, se sente mal por tantas coisas.

Outra, se sente  bem por quase nada.

Uma, chora tanto por tão pouco,

e a outra empareda o coração.

Uma pede colo e se apavora, outra oferece a mão pra conduzir.

Uma olha o mar e pede bóias,

e a outra se põe a nadar mesmo que engasgue.

Uma resiste à poesia concreta, outra tem horror às rimas pobres.

Nisto somos muito parecidas!

Uma me olha de dentro do espelho,

e a outra me ignora se olho de cá pra lá.

Uma pede abraços, outra afasta o corpo.

 Uma ri tão fácil, é tão segura!

A outra se encouraça na timidez.

Uma tem coragem e certezas, outra tem medos e vacilações.

Uma mora comigo há tanto tempo,

e a outra às vezes vem me visitar.

Uma vai embora e eu comemoro,

a outra insiste em não me abandonar.

publicado por Adelina Braglia às 01:39

Agosto 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13
19

20
21
22
23
24

27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO