" Se a esperança se apaga e a Babel começa, que tocha iluminará os caminhos na Terra?" (Garcia Lorca)

14
Jul 06
 

darcy.gif


..." Sou um homem de causas. Vivi sempre pregando, lutando, como um cruzado, pelas causas que comovem. Elas são muitas, demais: a salvação dos índios, a escolarização das crianças, a reforma agrária, o socialismo em liberdade, a universidade necessária. Na verdade, somei mais fracassos que vitórias em minhas lutas, mas isso não importa.


Horrível seria ter ficado ao lado dos que venceram nessas batalhas."


Darcy Ribeiro


www.fundar.org.br

publicado por Adelina Braglia às 23:34

Restritos num solo  árido, cercados por área desmatada e paupérrima, os Kayapó do aldeamento Las Casas, também sob a jurisdição da Administração Regional da FUNAI - Redenção, estado do Pará, protegem com 7 ou 8 esteios de madeira um pequeno pé de ingá, para manter distante dele o gado do fazendeiro. Cuidam para que o ingazeiro cresça, sonhando que suas crianças possam um dia nele subir e apanhar os frutos.


É sonho sim. Não há aposta segura, pois talvez nem as crianças, nem o ingazeiro, cresçam. As crianças têm em volta dos olhos - e também alguns adultos - bolsas de inchaço, indicando problemas renais decorrentes, talvez, da desnutrição.


Nesta aldeia, povoada por cerca de 200 pessoas, entre velhos, adultos, jovens e crianças, a única fonte de água é uma torneira e um parco sistema de tratamento de água, trepado em um poço cuja vazão é mínima e que no verão praticamente não responde à sucção de uma bomba d' água de potência insuficiente. A imagem de um jovem kayapó abrindo a torneira com fio de água rala é tão triste quanto a da avó e seu neto sentados em volta de uma tigela de arroz, único alimento do dia.


A FUNAI lhes diz que sua aldeia tem 21 mil hectares de terra. Porém, para chegar a esta ficção espacial, deve-se pedir licença ao fazendeiro, que mantém a porteira fechada com cadeado. Outras propriedades privadas recortam a terra indígena, para onde alguns kayapós e xikrins foram "transferidos"  no final dos anos 90..


A sobrevivência das famílias está atrelada exclusivamente à aposentadoria recebida pelos velhos. Os jovens não tem perspectivas de avançar na escolaridade ou de envolver-se na produção. Já não sabem caçar nem pescar nas suas formas tradicionais, pois que lhes confiscaram  arcos, flechas e arpões.


Em troca a FUNAI ensinou-lhes a usar linha de nylon, anzóis, armas e munição, que hoje não são levadas à aldeia. Com a artilharia de branco em falta, morrem de fome!


A fome, a doença, o descaso,  descem seu manto também sobre os kayapó de Las Casas.


Insisto: envie a FUNAI e a FUNASA menção de protesto sobre a situação indigna a que está submetido o Povo Kayapó, especialmente os aldeados em Gorotire e Las Casas. Proteste pelas condições de doença, desnutrição, fome e ausência de perspectivas, projetos, metas, sonhos,  para as cianças e adolescentes indígenas destes aldeamentos.


Insista!!!


www.funai.gov.br


Chefia de Gabinete da Presidência


E-mail: roberto.lustosa@funai.gov.br


Administração Regional de Redenção


Endereço: Rua Mato Grosso s/n.º, Setor Alto Paraná  CEP: 68.552-230 – Redenção/PA
Tel.: (94) 3424-1357 / 1504 / 0621 / 4886 / 4887 / 424-6387
Fax: (94) 3424-1504
e-mail: aerred@realonline.com.br


www.funasa.gov.br  


Coordenação do Pará


Endereço: Av. Visconde de Souza Franco, 616 - Reduto - Belém/PA
CEP:66.053-000
Telefone
: (91) 3202 3710 /  3770 / 3705

publicado por Adelina Braglia às 22:48

Julho 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
12
15

16
17
18
21
22

23
25
27



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO