" Se a esperança se apaga e a Babel começa, que tocha iluminará os caminhos na Terra?" (Garcia Lorca)

10
Mai 06
O meu amor é verde como as uvas
- aquelas que a raposa desprezou -
mas, o meu amor é verde, mesmo.
Verde no tempo, verde no tom, verde no tipo.
O meu amor não maturou ou amadureceu, pois que não é fruta.
E se fosse, seria daquelas, agridoces, como as grapefruits.
O meu amor amargou,
como o café no qual não se põe açúcar,
nem adoçante rançoso, artificial.
O meu amor não se plantou:
suas raízes aéreas não se prendem na água, nem no chão.
Ele sobrevoa, sobrevoa, sobrevoa,
sobre as nossas cabeças até me deixar
zonza, zonza, zonza,
de tanto tentar acompanhá-lo com o olhar.
publicado por Adelina Braglia às 21:59

Maio 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9

18
20

21
26
27

28


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO