" Se a esperança se apaga e a Babel começa, que tocha iluminará os caminhos na Terra?" (Garcia Lorca)

12
Jun 06
Victor Jara, Mercedes Sosa e o grupo Quilapayun formaram um belíssimo pano de fundo para os meus sonhos e pesadelos da juventude. Por isso, roubei ao Ademar a foto e todo o texto que se segue, para comemorar com ele a justiça, mesmo que tardia.


NUNCA ES TARDE...

Victor_Jara.jpg

Tinha uma voz dulcíssima, que ainda hoje canta para mim (estou, neste momento, a ouvi-lo). Afirmo bien la esperanza / cuando pienso en la otra estrella / nunca es tarde me dice ella / la paloma volará...
Victor Jara foi torturado e assassinado, em 1973, no Estádio de Santiago do Chile, transformado num imenso campo de concentração pelas hordas de Pinochet: primeiro, cortaram-lhe as mãos (por, mesmo detido, não desistir de continuar a tocar a sua guitarra); depois, alvejaram-no com 44 tiros, 44. O torturador e assassino foi um tal Edwin Minter Bianchi, também conhecido por «príncipe», que, na altura dos acontecimentos, era tenente do exército.
Edwin Bianchi viveu, discretamente, na impunidade, até há poucos dias, protegido pelos militares e pelos políticos que, em 1973, fizeram dele carrasco e lhe colocaram uma arma nas mãos. Foi, entretanto, descoberto e denunciado: é hoje um funcionário superior e distinto do Ministério do Trabalho. Nunca mais terá sossego.
A voz de Victor Jara soa-me hoje ainda mais doce...
(http://abnoxio3.blogs.sapo.pt/)

Abraço, Ademar.

publicado por Adelina Braglia às 21:54

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Junho 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

15

23

25
26
27
28
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO