" Se a esperança se apaga e a Babel começa, que tocha iluminará os caminhos na Terra?" (Garcia Lorca)

12
Dez 06

 

 

Esta é uma casa com gente dentro.

E dentro, moram pessoas com sonhos.

Os sonhos dessas pessoas são  sempre  mansos.

E esta minha vida me ensinou a não confundir mansidão com frouxura.

E a não misturar as minhas expectativas às deles.

E a não considerar minhas as derrotas que os abatem no cotidiano.

Nem suas vitórias.

Mas hoje, tal qual quando escuto, desde a primeira vez, Gente humilde,

- o hino que Chico, Garotinho e Vinícius fizeram um dia -

ou o hino nacional, em qualquer parada, até dos militares, eu chorei.

Copiosamente.

Sem me importar muito se isso nublava o óculos!

Porque tem certos dias em que a minha gente faz meu peito desapertar.

E hoje, contrariando o meu falso distanciamento da frase lá em cima,

sobre partilhar vitórias e derrotas,

eu chorei porque  fiz parte da vitória.

 

 

publicado por Adelina Braglia às 20:37

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Dezembro 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

14
16

17
19
21
22
23

24
25
26
27
29
30



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO