" Se a esperança se apaga e a Babel começa, que tocha iluminará os caminhos na Terra?" (Garcia Lorca)

23
Nov 06

 

Promete deixar que eu imagine que os poemas e as músicas são para mim.
Promete alimentar, vez em quando, meus sonhos, minhas infantilidades, minhas fantasias.
Afaga com poemas e músicas a minha loucura.
Doce loucura que vai me levar a vida
e isto vai ser rápido.

Já aprendi, e agora sempre testo, irracionalmente,
que nada é mais forte que o desejo,
- até e principalmente -
de navegar para chegar alhures
ou o do salto para o abismo, sem asas.

E anota nas nossas correspondências
- que fizeram de mim uma mulher melhor e uma melhor amante -
nem que seja num irônico post scriptum, que quero isto.
Que é um projeto - logo eu que sempre me gabei de viver à deriva!

Não quero tempo para aprender lições de bem ou de mais viver.
Ternamente, poeticamente, musicalmente, te proponho:
vamos sentir o cheiro doce-ácido dos amores maduros.
Eles cheiram a camélias, não a jasmins.



(*) licença poética em homenagem a Lennon e McCartney.
publicado por Adelina Braglia às 20:03

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Novembro 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9

15

21



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO