" Se a esperança se apaga e a Babel começa, que tocha iluminará os caminhos na Terra?" (Garcia Lorca)

08
Set 06

 

Olho pra mim e vejo,

além do retângulo da máquina,

meu tempo preso no espelho.

É um passatempo brincar de aprisioná-lo.

Eu não consigo me apropriar do tempo.

Ele é que toma conta de mim.

Assim, brinco com ele

e o retenho no retângulo da máquina,

mas sei que me aprisiono com ele.

Tenho um vazio no peito,

uma tristeza nas mãos,

uma dor fininha cá dentro.

Vou parar de brincar com o tempo.

 

 

 

publicado por Adelina Braglia às 22:50

Brincar com tempo...para isso é bom saber estar no mundo e se "amassar" com ele. Manoel de Barros, matogrossense porreta, ensina:
"Para apalpar as intimidades do mundo é preciso saber:
a) Que o esplendor da manhã não se abre com faca
b) O modo como as violetas preparam o dia para morrer
c) Por que é que as borboletas de tarjas vermelhas têm devoção por túmulos
d) Se o homem que toca de tarde sua existência num fagote, tem salvação
e) Que um rio que flui entre dois jacintos carrega mais ternura que um rio que flui entre dois lagartos
f) Como pegar na voz de um peixe
g) Qual o lado da noite que umedece primeiro.
etc
etc
etc
Desaprender oito horas por dia ensina os princípios.
Rita Braglia a 9 de Setembro de 2006 às 14:01

Beijo, Rita.
Bia a 9 de Setembro de 2006 às 18:31

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Setembro 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
16

17
19
21
23

24
25
26
27
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO