Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



foto do autor


calendário

Janeiro 2006

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031


Pesquisar

 


Transcrevo. E subscrevo.

Sábado, 28.01.06

A notícia vem de Portugal. E é precisa a defesa da legalidade constitucional do casamento entre pessoas do mesmo sexo que Ademar faz no seu texto. Vale para o Brasil, também. Também por isso o título deste post. Transcrevo e subscrevo.

Uma causa que deveria ser de todos... *



casamento.jpg
Esta é uma causa que eu apoiarei sempre. Não sei se é de direita ou de esquerda. Sei que, à direita e à esquerda, há ainda muita gente que, pelas mais diversas razões, convive mal com a homossexualidade. Sei também que, à esquerda e à direita, há muitos homossexuais que desejariam ter a coragem destas duas mulheres que, simplesmente, aspiram a casar (imagine-se o atrevimento!).
O casamento é um contrato. Um contrato que confere aos contraentes direitos e obrigações. Não está escrito em lado algum que uma das obrigações dos "cônjuges" seja procriar. A lei nunca vedou o casamento aos heterossexuais estéreis. O artigo 1672º do Código Civil define as obrigações a que os "cônjuges" se encontram reciprocamente vinculados: "respeito, fidelidade, coabitação, cooperação e assistência". Nenhuma destas obrigações tem "género" ou "orientação sexual". O casamento civil entre homossexuais faz, pois, tanto sentido como o casamento entre heterossexuais. Não é o sexo "diferente" dos contraentes que garante, como se sabe, a solidez do casamento. Um casamento homossexual pode ser tão ou mais sólido e fiável que um casamento heterossexual. Só preconceitos religiosos ou filosóficos têm impedido que, nesta matéria, se cumpra integralmente a Constituição, que garante a igualdade de todos os cidadãos perante a lei, independentemente de sexo, raça, religião, orientação sexual, etc...
Não sou homossexual, nem praticante do casamento. Mas compreendo e apoio a causa da Teresa e da Lena. Se elas querem casar, que casem. Quem sou eu, quem somos nós para lhes proibirmos essa ilusão de felicidade?...


* A imagem com que encimo este texto foi retirada da edição de hoje do Público.


http://abnoxio2.blogs.sapo.pt/

Autoria e outros dados (tags, etc)

Adelina Braglia às 10:39

5 comentários

De Bia a 31.01.2006 às 18:28

Outro abraço, carinhoso, pra você, Ademar.

De Ademar Santos a 31.01.2006 às 12:35

As causas justas não têm fronteiras!

Um abraço.

De Bia a 28.01.2006 às 22:45

Samartaime, mail lido. Beijo.
Dante Guitar, obrigada pela visita. Visitei sua página. Que pena que você entrou em recesso! Abraço
.

De Banda -Inpulse a 28.01.2006 às 15:43

Nada tenho contra tal..........respeito tal como o peço que me respeitem.....todos nós temos as nossas diferenças.......eu porêm bandido.......rss
Um abraço e conto em vir cá mais vezes, senão for preso antes...........
Um abraço
Dante
Inpulse

De Samartaime a 28.01.2006 às 15:29

Mandei mail para freebia. Estou fora do meu computador, estou de «férias»!.
Beijo

Comentar post



Comentários recentes

  • Anónimo

    Meu pai foi um desses homens procuro por uma foto...

  • Adelina Braglia

    Salve, Cris.Mudamos todos, nós, os blogs, o Juca q...

  • cris moreno

    saudades. estava me lendo no travessia e vi como b...

  • Adelina Braglia

    Amém! Beijo.

  • Marga

    Querida, bom lhe ter de volta aos textos que retra...