Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Março 2012

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031


Pesquisar

 


Não vou me adaptar.

Sexta-feira, 02.03.12

 

Para a meia dúzia de três ou quatro leitores, peço desculpas pelo longo siêncio, mas a vida tem se mostrado tão ficcional que escrever aqui deixou de ser prazeroso ou simples. Não tenho criatividade para superar a realidade, a partir destes poucos exemplos:

 

O Ministro da Pesca, guindado ao posto para contentar o PRB e os  evangélicos,  é sobrinho do “bispo” Edir Macedo,  da Igreja Universal do Reino de Deus, denunciado pelo Ministério Público Federal por importação fraudulenta de equipamentos e uso de documento público falso, respondendo a processo aberto na Justiça Federal. Sua “igreja” representa cerca de 8 milhões de seguidores. O governo nega que isso tenha tido algum peso nessa primorosa indicação.

 

No bairro de Mosqueiro, em Belém,  um adolescente foi torturado, espancado, esfaqueado e morto -  com todos estes requintes de brutalidade -por  marginais chefiados pelo que tinha ciúmes da amizade do jovem assassinado com a sua namorada.

 

Paulo Henrique Amorim, um ícone da imprensa “livre” faz acordo e se retrata por declaração ofensiva. No seu blog, PHA, como é conhecido e incensado, chamou Heraldo Pereira, apresentador do Jornal Nacional, da Globo, de "negro de alma branca" e afirmou que o jornalista não revelava nenhum "... atributo para fazer tanto sucesso, além de ser negro e de origem humilde". A "ofensa" foi resolvida via acordo judicial.  Creio que a correta e elegante menção de PHA à raça e não à cor,  substituindo o tradicional “preto” por “negro” deve ter feito a Justiça  e a imprensa "livre" sentirem-se contempladas, tornando-se desnecessária sequer a menção ao racismo da expressão que sempre foi emblemática da nossa "cordialidade" racial.

 

Aqui, o jornalista Lucio Flávio Pinto é inexoravelmente condenado a ser perenemente réu pela Justiça paraense. Decide, assim, preservar sua honradez e sanidades profissional e mental não recorrendo da 33ª sentença.

Quem quiser apoiar Lúcio e conhecer a  infâmia da sua condenação, pode fazê-lo aqui http://www.lucioflaviopinto.com.br/ . Qualquer contribuição financeira é bem vinda por ser  fundamental para o pagamento da condenação e pode ser feita através da conta poupança 22.108-2 da agência 3024-4, variação 1, do Banco do Brasil, em nome do irmão do jornalista, Pedro Carlos de Faria Pinto.

 

Meu apoio, Lúcio. E um forte e fraterno abraço.

 

Quando esta é a realidade, camaradas , o melhor é a gente silenciar. Mas não se adaptar!

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Adelina Braglia às 18:40

1 comentário

De samartaime a 07.03.2012 às 13:39

«Negro de alma branca»? !
Esse tipo é um racista furioso, pela certa um «branco» de alma da cor das trevas da estupidez dele!



Comentar post



Comentários recentes

  • Anónimo

    Meu pai foi um desses homens procuro por uma foto...

  • Adelina Braglia

    Salve, Cris.Mudamos todos, nós, os blogs, o Juca q...

  • cris moreno

    saudades. estava me lendo no travessia e vi como b...

  • Adelina Braglia

    Amém! Beijo.

  • Marga

    Querida, bom lhe ter de volta aos textos que retra...