Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Março 2008

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031


Pesquisar

 


Onde anda Santo Ambrósio???

Quinta-feira, 13.03.08

  

"  .... Divulgar na internet que a Amazônia está à venda nunca será uma ferramenta de marketing conseqüente. Já existem precedentes na rede, denunciou a Agência Amazônia de Notícias. Daí o efeito bumerangue, que bate feito um bólido, na "cabeça peidada" (assim se diz na Amazônia) dos publicitários aquartelados por essas empresas.

Da tentativa insana de criar uma peça publicitária e expor ao mundo, na tela do computador, a Arkhos, parida pela criatividade da dupla empresarial, incute em crianças e jovens envolvidos com jogos virtuais o desprezo pelo próprio solo, pela floresta, pelo ecossistema. É como se tudo estivesse mesmo à venda, sem problema algum, na base do "se colar, colou".

As peripécias da Ambev em Maués (no estado do Amazonas) são comentadas também pelo jornalista Sérgio Leo, no seu sítio.

 

Brincadeira danosa

 

De acordo com a assessoria de imprensa do senador Arthur Virgílio (PSDB-AM), que denunciou a trama do suposto Arkhos Biotech, o parlamentar achou graça ter denunciado o vídeo da assumidamente fictícia Arkhos Biotechnology . Atribuíram-lhe um "mico" por haver se posicionado em defesa da Amazônia. E ele considerou a ilegalidade da Ambev e Abril um equívoco. Pior faria, se ficasse calado ou omisso.

 

Como se estivesse agindo corretamente, dentro da impunidade, a direção da Ambev ainda aproveitou para convidá-lo a gravar um comercial. A que ponto chega o abuso dos conglomerados que se consideram donos da Amazônia e autorizados a transformá-la em feudo para seus gracejos marqueteiros!

 

A atitude da Ambev e de sua parceira Abril dá margem à busca da fórmula super-secreta da Coca-Cola. Amanhã, a brincadeira pode ser promovida por outras fabricantes de refrigerantes e produtos que afetam a construção óssea do ser humano.

O jornalista Chico Bruno alerta: "Por mais que se explique a brincadeira, o seu enredo é pernicioso aos interesses do Brasil". "É uma brincadeira danosa", ele afirma, conclamando o senador Arthur Virgílio – e, conseqüentemente, os demais parlamentares da região – a pedirem à Justiça a imediata retirada do site do ar.

 

O que em troca?

 

A denúncia da Agência Amazônia de Notícias demonstrou uma postura não apenas dela, mas do jornalismo disposto a considerar extremamente grave o aparecimento de um site propondo a internacionalização da região, com ofensas ao país e aos sul-americanos em geral. Uma pesquisa no Google é o suficiente para se aferir a repercussão desse estrago.

 

 

Paralelamente ao famigerado Arkhos, seja qual for a origem, o conteúdo e o feitio lingüístico do seu site, vemos situações positivas campeando nas caixas postais e nos monitores. O site "Amazônia para sempre", autor de uma delas, tem repudiado a comemoração do "menor desmatamento da Floresta Amazônica dos últimos três anos: 17 mil quilômetros quadrados, quase a metade da Holanda". "Quando se desmata 16%, isso equivalente a duas vezes a Alemanha e três vezes a área do estado de São Paulo", adverte o site.

O que a sociedade brasileira oferece em troca, pela manutenção desse patrimônio com biodiversidade incomparável e rica, com seres humanos incríveis, com uma fonte incalculável de riquezas minerais, petróleo e gás natural no subsolo e mais de 20% da disponibilidade de água doce do planeta? – perguntamos, lembrando o jornalista e poeta manauara Simão Pessoa."

 

 

Quer mais? Leia  aqui.
E assista aí.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Adelina Braglia às 18:21


Comentários recentes

  • Anónimo

    Meu pai foi um desses homens procuro por uma foto...

  • Adelina Braglia

    Salve, Cris.Mudamos todos, nós, os blogs, o Juca q...

  • cris moreno

    saudades. estava me lendo no travessia e vi como b...

  • Adelina Braglia

    Amém! Beijo.

  • Marga

    Querida, bom lhe ter de volta aos textos que retra...