Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Dezembro 2007

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031


Pesquisar

 


Para as irmãs: cheiro de anis e som de viola.

Sábado, 01.12.07
Quanto eu tinha pouco mais de 5 anos, sofri uma queimadura grave. Naquela época, o tratamento de queimaduras era cruel: foram semanas (ou meses?) de repouso.
 
Para me consolar, meu pai comprou um rádio. Daqueles ovalados, grandes, de madeira. Que ficava ao lado da minha cama. E eu passei a fazer do rádio o companheiro das horas de dor e preguiça.
 
Nele conheci Dalva de Oliveira, Francisco Alves, Izaurinha Garcia. Ouvi muitas novelas! E ouvia sempre Jerônimo, o justiceiro do sertão!
 
Naquele rádio, ouvi a notícia do suicídio de Getúlio. E ouvia, pela manhã e à tardinha, muita música sertaneja, onde a viola era a estrela. E havia o locutor que lia mensagens de amor, e as começava sempre assim: “... meu inesquecível amor...”.
 
Quando fiquei bem das queimaduras, já podia sentar no degrau do quarto de casa, que dava para o quintal. E ali, bem junto ao degráu, estava o pé de anis. Cleide me visitava quando chegava do colégio. A Lula tinha -  quase como imposição da madrinha - que me fazer companhia. A Nena estava livre dessa chatice: já trabalhava!
 
Junto com o cheiro de anis e o som da viola, veio uma enorme saudade delas. E a certeza de que nunca estive tão protegida dos males do mundo quanto naquelas tardes.
Beijo, queridas.
 
 
 
 
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Adelina Braglia às 19:09

2 comentários

De Cleide a 02.12.2007 às 00:22

Bia eu peguei a garrafa, pois sua avó me emociona quando relembra fatos de nossa vida. A saudade desse tempo é muito grande e essa lembrança fica muito viva é como se estivesse vivendo tudo de novo.
Esse texto será lido no nosso almoço de natal, no próximo dia 09.
Beijos

De Adelina Braglia a 02.12.2007 às 16:10

Querida irmã,

tenho tido muitas lembranças da nossa vida em comum. Elas me tomam de assalto, sem nenhum motivo aparente. Creio que é puro amor e muita saudade. Beijos. Pras três.

Comentar post



Comentários recentes

  • Anónimo

    Meu pai foi um desses homens procuro por uma foto...

  • Adelina Braglia

    Salve, Cris.Mudamos todos, nós, os blogs, o Juca q...

  • cris moreno

    saudades. estava me lendo no travessia e vi como b...

  • Adelina Braglia

    Amém! Beijo.

  • Marga

    Querida, bom lhe ter de volta aos textos que retra...