Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Julho 2007

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031


Pesquisar

 


Sintomas da barbárie.

Quarta-feira, 04.07.07

 

Dados gerais:
 
 
Mulheres casadas são hoje as maiores vítimas da contaminação pela AIDS.
 
 Dos jovens brasileiros entre 15 e 24 anos, 27% não estuda nem trabalha. E representam 49% do total de desempregados no Brasil, o que indica, pela metodologia da pesquisa, que têm procurado emprego.
 
 
As mulheres negras têm menos consultas pré-natal do que as mulheres brancas.
 
 
 
Informações "específicas":
 
 
Homens e mulheres encontram-se em galpões, contratados por um”organizador” da luta  e, sem regras, dois a cada vez espancam-se com o estímulo da torcida até que um caia não aguente mais. Murros em todas as partes do corpo, socos na cabeça. É a rinha de galo com seres humanos, uma inovação nem tão criativa, pois antes da rinha já havia o circo romano.
O prêmio para o vencedor é de R$ 300,00 e os “convidados” são avisados boca-a-boca.
 
Jovens de classe média – não são vítimas das causas sociais da fome, da miséria e da falta de oportunidades – espancam uma moça indefesa. A desculpa? Pensaram que ela fosse uma prostituta! E se fosse? Estaria "aliviada" a agressão?
 
O senador Renan Canalha se segura na cadeira da presidência do Senado e com o beneplácito de vários dos seus pares arrota frases grandiloquentes, ventríloquo da república infame, filha da ditadura que deformou corpos e mentes.
 
Um homem doente, enfartado, morre na frente das câmeras da TV por omissão de socorro, em Belém. Estava numa unidade pública de saúde na capital do estado!
 
 
Ouço Ellis, sem fone de ouvido:
 
 
 
Perdoem a cara amarrada, perdoem a falta de abraço,
perdoem a falta de espaço,
os dias eram assim...

Perdoem por tantos perigos, perdoem a falta de abrigo,
perdoem a falta de amigos,
os dias eram assim...

Perdoem a falta de folhas, perdoem a falta de ar
perdoem a falta de escolha,
os dias eram assim...

E quando passarem a limpo, e quando cortarem os laços,
e quando soltarem os cintos,
façam a festa por mim...

E quando lavarem a mágoa, e quando lavarem a alma
e quando lavarem a água,
lavem os olhos por mim...

Quando brotarem as flores, quando crescerem as matas,
quando colherem os frutos,
digam o gosto pra mim...

Digam o gosto pra mim...
 
 
(Aos nossos filhos – Ivan Lins e Vitor Martins)
 
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Adelina Braglia às 08:35

2 comentários

De samartaime a 04.07.2007 às 21:58

Oi! Parece que o meu blog anda em manutenção e migração, de modo que passei aqui para lhe deixar um abraçoe dizer que vou entrar no período de quarentena da mudança!... Tenho tudo já instalado, só que não vou ter tempo: andarei a correr entre o Algarve e Cascais!
Beijão e até... breve! rsrsrs

De Adelina Braglia a 04.07.2007 às 23:41

E quando for a Torres Vedras, almoce por mim!
Beijão.

Comentar post



Comentários recentes

  • Anónimo

    Meu pai foi um desses homens procuro por uma foto...

  • Adelina Braglia

    Salve, Cris.Mudamos todos, nós, os blogs, o Juca q...

  • cris moreno

    saudades. estava me lendo no travessia e vi como b...

  • Adelina Braglia

    Amém! Beijo.

  • Marga

    Querida, bom lhe ter de volta aos textos que retra...