Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



foto do autor


calendário

Abril 2007

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930


Pesquisar

 


Usineiros, os novos heróis do Presidente.

Quinta-feira, 12.04.07

 

 

" A implantação da indústria açucareira no Brasil, baseada no latifúndio, no trabalho escravo e na monocultura da cana de açúcar para exportação, data do período colonial e foi sempre apoiada pelos governos nacionais. Essa política, do Estado como financiador e organizador dos lucros dos usineiros, principalmente com a política do perdão das dividas, se mantém até hoje.


(...)

 Os usineiros sempre pegaram dinheiro dos bancos estatais e do orçamento da união e nunca pagaram suas dividas, que são sempre renegociadas a cada safra. Só em Pernambuco, os usineiros devem ao INSS mais de 562.641.612,54 bilhões de reais. Isso sem contar os empréstimos a bancos estatais não pagos e dívidas de outros impostos (...)"

(Alexandre Conceição - Brasil: de devedores a heróis)

 

 

 

foste, no mundo, mineiro
e cortaste cana demais.

e teu corpo,
forte árvore morena,
resolveram chamar pela brasileira e estranha alcunha:  José.

 José,
amaste três damas?
quiseste uma valsa?
creste em deus?
pactuaste com o cão?
fizeste um samba?
mataste um patrão?

 perdão, José: sou grosso, ignorante. por isso, pergunto.
sinto tua falta, como sinto de um irmão.
sinto tua falta.
sei que não sabes disso.
mas quero repetir-te:
sinto tua falta.

 sei que não me escutas.

 sinto tua falta
como sentirias, talvez, a falta de um poema
em que teu nome batia, tão comum como a cana que cai
levando consigo o trivial peso do universo.

 hoje, José, onde estás? será que poderias ouvi-lo?
sei que não.
estás longe, José, e não entendias de estrofes.

 e (não é curioso?) a tanta cana que cortaste
arde-me os dedos, pesa-me os olhos, perfura-me os rins.

 que fazer por esse José que já não pode mais?
nem mais podes, José, ouvir "e agora?"

 

(...)

(Alexandre Pilati - O mundo está coberto de cana)

poema feito em homenagem a José Mario Alves Gomes, cortador de cana da Usina Santa Helena, em São Paulo, que morreu em 21 de outubro de 2005, após cortar 25 toneladas de cana.

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Adelina Braglia às 06:55


Comentários recentes

  • Anónimo

    Meu pai foi um desses homens procuro por uma foto...

  • Adelina Braglia

    Salve, Cris.Mudamos todos, nós, os blogs, o Juca q...

  • cris moreno

    saudades. estava me lendo no travessia e vi como b...

  • Adelina Braglia

    Amém! Beijo.

  • Marga

    Querida, bom lhe ter de volta aos textos que retra...