Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



foto do autor


calendário

Setembro 2006

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930


Pesquisar

 


A neve do urso ou a casca da ostra.

Quarta-feira, 06.09.06
Ai, que me cansa a dança da minha aflição de viver e de acordar pela manhã e, às vezes, até de respirar!
 
Poderíamos ter nascido com mecanismos simples de hibernação sem dor. É certo que aqui  não há neve, como a que acolhe os ursos, mas há rios e igarapés, de águas dóceis e frias, capazes de abrigar qualquer vivente que precise de descanso, silêncio e paz.
 
Em dias como hoje, sinto vontade de colo. O colo do pai. Que com o colo dava o afago das mãos e das palavras. Palavras que amenizavam o baque fosse ele do corpo ou da alma. O joelho esfolado doía menos e a alma ferida encontrava acolhimento.
 
Escrevendo agora percebo que meu desejo cifrado é hibernar no colo do pai. Como se ele, ressuscitado, pudesse curar com as mãos esta aflição de eu não querer ir a lugar algum, de não ter vontade de falar com ninguém – e falar é meu ofício!!! – ou de salvaguardar objetivos, fantasia, ações, projetos, seja lá o que for.
 
A música da cabeça hoje já indicava este mal estar. Eu não queria ouvi-la. A música acordou comigo, me impôs na cabeça um incomodo fundo musical e diz:
 
“... ai, meu amor para sempre nunca me conceda descansar. Pai, o tempo vai virar, meu pai, deixa me carregar o vento ..”
 
A música é do Chico, para o filme A ostra e o vento.
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Adelina Braglia às 18:38


Comentários recentes

  • Anónimo

    Meu pai foi um desses homens procuro por uma foto...

  • Adelina Braglia

    Salve, Cris.Mudamos todos, nós, os blogs, o Juca q...

  • cris moreno

    saudades. estava me lendo no travessia e vi como b...

  • Adelina Braglia

    Amém! Beijo.

  • Marga

    Querida, bom lhe ter de volta aos textos que retra...